Detalhe

Precisamos falar sobre liberdade

Em uma era na qual o feminismo está em voga, e as mulheres lutam diariamente por igualdade, ainda nos deparamos com imposições aceitas socialmente e que raramente são contestadas.

Um bom exemplo é a roupa de noiva. Já ouvi várias vezes “mas um vestido de noiva PRECISA ter brilho”… “PRECISA ser branco”… “PRECISA  ter cauda”…. “PRECISA ter véu”…” PRECISA SER VESTIDO”. Mas o que ou quem precisa realmente? A noiva, ou o resto da sociedade, com seus conceitos pré-definidos de mundo e concepções que vêm a partir de convenções sociais tão antigas quanto o casamento?

Por definição, vestido ou traje de noiva é o vestuário usado por uma noiva durante uma cerimônia de casamento. A cor e o estilo normalmente dependem da cultura e da religião dos participantes. Resumindo, vai muito além do senso comum.

A liberdade é expressada a partir do momento em que a noiva entende que não PRECISA de nada. Que é livre para ter suas ideias, fazer suas escolhas, gostem os outros ou não, atenda às expectativas alheias ou não.

Vivemos em um mercado onde o padrão “mais do mesmo” impera. Sempre os mesmos tecidos, mesmas rendas, mesmos bordados. Estar igual e dentro do previsível parece ser essencial para ser aceita, e entendida como noiva. Porque se o vestido não for branco, não tiver algum detalhe tipicamente de noiva, como rendas e bordados, não tiver cauda e nem véu… bom, então não é um vestido de noiva.

Discordo. E dou o grito. Defendo que é uma roupa de noiva sim e, não necessariamente, um vestido. Da cor que a noiva quiser, com o corte que quiser, do jeito que quiser. O que te define como noiva, mais do que o que você usa, é a relação estabelecida com seu parceiro ou parceira, o compromisso que desejam firmar. E, então, o que te veste é parte disso e deve ser uma extensão da personalidade e do jeito de ser do casal.

Se existe identificação com toda a lista de tradicionais, use e seja feliz. Realize-se. Mas se não combina, pense bem com o que você se identifica e procure. Procure até achar. O conceito de certo ou errado não é real nesse contexto. O que é real é a necessidade de ser quem você é, de sentir-se plena e realizada no grande dia.  

E se não for o que todos esperam…? O problema é deles. E a frustração também. Que vivam sua própria história de amor e escolham seu vestido. Pense fora da caixinha. Escolha fora da caixinha.

Filtrar por Categorias